terça-feira, 8 de novembro de 2011

O CRIADO MORDE



O homem faz a história, diz Sartre, as estruturas são ações humanas objetivadas. Claro que depois de fazer a História, as estruturas, o Homem (o homem)  torna-se escravo dela(s). O homem torna-se sempre produto do seu próprio produto (Sartre, ó). O homem cria, transforma, é protagonista histórico. E logo a seguir à criação, como castigo pelo seu desaforo, é criado por aquilo que criou. Foi assim com deus, foi assim com o amor. É assim com tudo. Também a vida que criei – oh quarto altíssimo – desceu cá a baixo e agora morde-me as canelas. 

3 comentários:

Joana disse...

e eu a pensar que a culpa era sempre do mordomo...

Rui Costa (msgtorc@hotmail.com) disse...

o mordomo não morde-ma.

Cuca disse...

dá-lhe um pontapé.